Home Quem Somos Clientes Portfólio Blog Contato

CONTEÚDO

Novidades do mercado de tecnologia e muito mais conteúdo para você se manter informado.

16/fev/2017

Quando o cliente e o prestador se frustram.

Autor: Magno Calazans

Quem já não passou pela experiência de contratar uma empresa para desenvolver uma solução e se decepcionou completamente com o resultado?
Sendo esse um cenário tão comum, gostaria de fazer uma breve reflexão levando em conta ambos os lados, e no final trago duas soluções que, embora simples, possuem um alto potencial.

Quando cliente

Normalmente atribuímos a culpa da insatisfação ao prestador de serviço valendo-se da célebre frase: “O cliente tem sempre razão”. No entanto nos esquecemos que o simples fato de ter havido aquela contratação significa que precisamos de ajuda para algo que por algum motivo não o podemos fazer, seja por falta de conhecimento ou simplesmente por falta de tempo. Se o resultado não foi satisfatório, significa que o processo também não foi e, se com humildade fizermos uma análise de tudo, poderemos nos surpreender ao descobrir que partilhamos da culpa por omitir ou não deixar claro alguns pensamentos e desejos.

Quando prestador

Você é oficialmente o responsável por buscar os melhores caminhos de extrair tudo que é importante da mente do seu cliente. Não despreze essa responsabilidade. O fato de você ser o melhor developer, o melhor designer, o melhor editor, o melhor fotógrafo, o melhor redator, ou seja lá qual for sua profissão, não garante o sucesso do projeto. Sem saber das expectativas de seu cliente e onde que ele pretende chegar, você não fará nada mais do que produzir algo que o satisfaria caso estivessem em papéis inversos. E isso não é suficiente. O foco de seu trabalho é trazer resultados para o seu cliente e muitas vezes, para que isso aconteça, você realmente não poderá usar aquela cor ou aquela fonte que ele tanto quer, mas você precisa fazê-lo entender isso no início e durante todo processo, não na entrega.

Potenciais soluções

O Briefing
Pergunte-se: “Com essas informações, estarei seguro daquilo que se passa pela mente do cliente?”.  Ou, se você vai contratar, pense: “Com essas palavras estou sendo claro sobre minhas pretensões?”. Devemos ter em mente que, a partir da contratação, somos uma equipe com um único objetivo. Não há limite de perguntas. Esteja seguro de tudo o que precisa antes de iniciar a peça e o sucesso estará mais perto tanto do cliente como do prestador.

A Comunicação
Hoje existem diversos meios eficientes de se manter contato online com outras pessoas mas, tanto como prestadores como consumidores, não precisamos usar todos eles de uma só vez. Pense que toda informação em um processo criativo é válida e muito importante. Procure manter o histórico das conversas em um único lugar. Hoje existem ferramentas no mercado que facilitam essa questão, como por exemplo o SLACK que, além de fazer esse trabalho muito bem, pode ser facilmente integrado com outras ferramentas como o Skype.

 

Essas dicas simples poderão ser de grande ajuda tanto para novos profissionais como para os mais antigos. Seja freelancers, contratados ou consumidores, precisamos aceitar compreender que o final triste provavelmente teve um meio no mínimo duvidoso. Convido-o a valer-se dessas técnicas preventivas e mensurar seus resultados. Depois deixe seu comentário e conte-nos sua experiência.

Um abraço e bons negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2017 © Todos os direitos reservados. FASTERS